PV tem 18 candidaturas indeferidas e Lêda Borges vive seus últimos suspiros na política, em Valparaíso de Goiás

Tucana também está na mira da Justiça e pode ter registro de candidatura anulado nos próximos dias


A coisa está feia para a candidata a prefeita Lêda Borges (PSDB), que pode ter seu registro de candidatura cassado e ficar fora da Eleição 2020. Nesta sexta-feira (23/10), 18 candidaturas de vereadores do Partido Verde (PV), da Coligação Juntos por Valparaíso ficaram pelo caminho e foram indeferidas pela 033ª Zona Eleitoral.


Os candidatos impugnados são: Adalmir Castro; Apóstola Odinéa; Aurora da Saúde; Bunga; Irapua Maia; Ivando Chega Mais; Jessica Chanox; Joana Caminhoneira; Juvenal Eletrônica; Lanne Carneiro; Marcos Silva MS; Miguel Moura; Osmir Venâncio; Pastor Jamerson; Pastor Vieira; Professora Lidiany; Professor Paulo Ferraz; Veim.


Apenas o candidato Pastor Cícero, aliado da Coligação Pra frente Valparaíso e do prefeito Pábio Mossoró (MDB), teve a candidatura ao legislativo deferida. O Ministério Público Eleitoral (MPE) entendeu que o PV é presidido por Gilvan Carlos de Sousa. O legítimo presidente municipal, aprovou junto dos filiados da sigla, apoiar e fazer parte da chapa encabeçada pelo emedebista favorito à reeleição.

“Requereu a procedência da impugnação para impugnar o registro da Coligação Juntos por Valparaíso, removendo-se o partido PV (Partido Verde)”, de acordo com a sentença.

O duro golpe põe em xeque a carreira da decadente e encrenqueira Lêda, que vive seus últimos suspiros na política goiana, principalmente, no Entorno do Distrito Federal.

Postar um comentário

0 Comentários