No próximo sábado, SBD-GO vai promover mutirão de atendimento da campanha Dezembro Laranja/Prevenção do Câncer de Pele



Os atendimentos serão gratuitos e acontecerão no Hospital das Clínicas, das 9 às 15 horas. A expectativa é atender 1 mil pacientes

 

 

No próximo sábado, 2 de dezembro, a Sociedade Brasileira de Dermatologia – Regional Goiás (SBD-GO) vai realizar, em Goiânia, mais uma edição do mutirão de atendimento da Campanha Dezembro Laranja, uma grande mobilização nacional para a prevenção, o diagnóstico e tratamento precoces do câncer de pele, um tipo da doença que representa 33% de todos os casos de câncer registrados no Brasil.

 

Das 9 às 15 horas, voluntários da SBD-GO estarão no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás, para o atendimento gratuito à população. As consultas serão feitas por ordem de chegada dos pacientes. A entrada será pelo Portão A, do HC, na 1ª Avenida, Setor Leste Universitário. A expectativa, de acordo com o coordenador local da campanha, dermatologista Samir Pereira, é atender cerca de 1 mil pacientes.

 

Durante os atendimentos, os médicos vão avaliar os pacientes para identificar lesões suspeitas de câncer de pele e orientá-los sobre a prevenção. Quando forem identificadas essas lesões, os pacientes serão encaminhados para investigação e tratamento especializado no HC/UFG.

 

Esse mutirão acontecerá simultaneamente em 100 postos instalados em todo o Brasil, onde cerca de 3,5 mil dermatologistas voluntários trabalharão para ajudar na prevenção do câncer de pele. A Campanha Dezembro Laranja foi criada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia em 1999 e, desde 2014, recebe esse nome. Em 2009, a SBD ganhou o Prêmio Guiness World of Records pela maior campanha médica do mundo em um dia e maior campanha mundial de prevenção ao câncer da pele.

 

 

Saiba mais sobre o câncer de pele

 

 

O câncer da pele responde por 33% de todos os diagnósticos desta doença no Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA). A cada ano, são registrados cerca de 185 mil novos casos. A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele.

 

Os tipos mais comuns do câncer de pele são os carcinomas basocelulares e os espinocelulares, responsáveis por 177 mil novos casos da doença por ano. Mais raro e letal que os carcinomas, o melanoma é o tipo mais agressivo de câncer da pele e registra 8,4 mil casos anualmente. O diagnóstico precoce é fundamental para o sucesso do tratamento do câncer de pele.

 

Tipos da doença

 

Carcinoma basocelular (CBC) - É o tipo mais prevalente e surge mais frequentemente em regiões expostas ao sol, como face, orelhas, pescoço, couro cabeludo, ombros e costas. Tem baixa letalidade e pode ser curado em caso de detecção precoce. Costuma se apresentar como uma pápula vermelha, brilhosa, com uma crosta central, que pode sangrar com facilidade.

 

 

Carcinoma espinocelular (CEC) - Pode se desenvolver em todas as partes do corpo, embora seja mais comum nas áreas expostas ao sol, como orelhas, rosto, couro cabeludo e pescoço. Tem coloração avermelhada e pode se parecer com uma verruga ou uma ferida espessa e descamativa, que não cicatriza.

 

 

Melanoma - O menos frequente dos cânceres da pele, o melanoma tem o mais alto índice de mortalidade. Apesar disso, as chances de cura são de mais de 90%, quando detectado precocemente. Costuma ter a aparência de uma pinta ou de um sinal em tons acastanhados ou enegrecidos, que mudam de cor, de formato ou de tamanho.

 

 

Fatores de risco

 

Alguns fatores podem elevar os riscos de câncer de pele:

Ter alguém na família que tem ou já teve câncer da pele.

Já ter tido muitas queimaduras de sol durante a vida, daquelas que deixam a pele muito vermelha e ardendo.

Ter muitas sardas ou pintas pelo corpo.

Ter a pele muito clara, do tipo que sempre queima no sol e nunca bronzeia.

Já ter tido câncer da pele.

Ter mais de 50 anos.

 

 

Prevenção

 

Evitar a exposição excessiva ao sol e proteger a pele dos efeitos da radiação UV são as melhores estratégias para prevenir o melanoma e outros tipos de tumores de pele. Confira as principais medidas de proteção:

Usar chapéus, camisetas, óculos escuros com proteção UV e protetores solares.

Cobrir as áreas expostas com roupas apropriadas, como uma camisa de manga comprida, calças e um chapéu de abas largas.

Evitar a exposição solar e permanecer na sombra entre 10 e 16 horas (horário de verão).

Na praia ou na piscina, usar barracas feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta. As barracas de nylon formam uma barreira pouco confiável: 95% dos raios UV ultrapassam o material.

Usar filtros solares diariamente, e não somente em horários de lazer ou de diversão. Utilizar um produto que proteja contra radiação UVA e UVB e tenha um fator de proteção solar (FPS) 30, no mínimo.  Reaplicar o produto a cada quatro horas, mas se for nadar ou tiver transpiração excessiva a cada duas horas. Ao utilizar o produto no dia a dia, aplicar uma boa quantidade pela manhã e reaplicar antes de sair para o almoço.

Observar regularmente a própria pele, à procura de pintas ou manchas suspeitas.

Manter bebês e crianças protegidos do sol. Filtros solares podem ser usados a partir dos seis meses e vêm com a especificação Kids.

Consultar um dermatologista uma vez ao ano, no mínimo, para um exame completo. (Fonte: SBD)

 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem